Últimas Notícias

08/02/2017
Inscrições para o Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica 2017 estarão abertas a partir de 15 de março

O Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica - Clarival do Prado Valladares patrocina, desde 2004, pesquisas e publicações de obras que resgatam a biografia do país. As inscrições para o Prêmio 2017 estarão abertas a partir de 15 de março.

São quatro etapas até o vencedor do ano ser anunciado. Primeiro, é preciso se cadastrar no site do prêmio e inscrever o projeto. Em seguida, uma comissão de professores universitários analisa os textos, sem saber de quem são, e escolhem os 100 melhores.

Um comitê da Odebrecht seleciona 10 finalistas que passarão por entrevistas presenciais. Destes, convidam cinco para fazer a apresentação de seus projetos à banca avaliadora, onde define-se quem ganhará o patrocínio da edição.

Clique aqui para ver matéria publicada em O GLOBO.

23/12/2016
Lançamento do livro “Os naturalistas do Império”

Foi lançado no dia 6 de dezembro, em Salvador, na sede da Odebrecht, o livro “Os naturalistas do Império”, resultado do projeto vencedor do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares.

O evento teve a participação dos organizadores do livro, os historiadores Magnus Roberto de Mello Pereira e Ana Lúcia Rocha Barbalho da Cruz, ambos da Universidade Federal do Paraná, e da professora Fernanda Rebelo Pinto, do Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências da Universidade Federal da Bahia, que fez uma apresentação do livro e, em seguida, coordenou um debate com os organizadores.

O livro “Os naturalistas do Império” trata do conhecimento científico desenvolvido por Portugal e por suas colônias no período entre 1768 e 1822. O livro, ricamente ilustrado, revela aspectos desconhecidos sobre importantes descobertas científicas no período e vem preencher uma lacuna na historiografia brasileira e também na de países como Angola e Moçambique.

No evento, os organizadores destacaram o papel de pesquisadores luso-brasileiros, revelando que cerca de 600 jovens nascidos no Brasil estudaram em Coimbra nesse período e contribuíram decisavamente para o avanço da ciência no Império português.

08/11/2016
Livro patrocinado pelo Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica resgata acervo deixado por cientistas luso-brasileiros

Na segunda metade do século XVIII, em pleno apogeu iluminista, as principais potências europeias aprofundaram os estudos sobre a flora, a fauna, os minerais e as populações nativas de todo o globo. Dezenas de expedições com objetivos científicos recolhiam materiais e os enviavam para os diversos jardins botânicos e museus de história natural criados por toda a Europa, para ali serem estudados e catalogados. Embora pouco estudada, a participação de Portugal nesse processo foi significativa: o país investiu amplamente na formação de pesquisadores e em práticas de organização e análise de exemplares recolhidos em seus territórios, o que permitiu um importante avanço no campo do conhecimento científico da natureza.

O avanço lusitano recebeu impulso decisivo durante o governo do Marquês de Pombal, que conduziu uma profunda reforma na Universidade de Coimbra (1777), onde foram formados os quadros necessários à exploração científica das colônias portuguesas. Parte expressiva dos alunos matriculados nos cursos destinados ao projeto de Pombal (Ciências Naturais e Matemática, principalmente) era de origem brasileira. Estimulados pelo governo português a estudar em Coimbra, muitos deles passaram a integrar as chamadas Expedições Philosophicas enviadas às colônias. A primeira geração de iluministas de Portugal, composta de colonos nascidos no Brasil, foi a principal responsável pelo conhecimento científico desenvolvido sobre o Brasil e as antigas colônias portuguesas na África e na Ásia.

É o que mostram os historiadores Ana Lúcia Rocha Barbalho da Cruz e Magnus Roberto de Mello Pereira, ambos do Cedope – Centro de Documentação e Pesquisa de História dos Domínios Portugueses, da Universidade Federal do Paraná. Além de textos assinados pelos organizadores, o livro conta também com obras de autores brasileiros e portugueses, criando um rico panorama do momento histórico retratado. Resultado do projeto de pesquisa vencedor do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares no ano de 2014, Os Naturalistas do Império preenche uma importante lacuna na historiografia brasileira e também na de países como Angola e Moçambique, onde os portugueses desenvolveram importantes descobertas científicas.

Desde sua criação, em 2003, o Prêmio vem apoiando o trabalho de pesquisadores de diversas regiões brasileiras que se dedicam a temas relevantes e inéditos da história do país e editando, em livro, o resultado dessas pesquisas. Ao publicar Os Naturalistas do Império, com o largo acervo escrito e iconográfico deixado pelos cientistas luso-brasileiros do período de 1768 a 1822, a Odebrecht cumpre, mais uma vez, um papel que considera essencial no âmbito de sua ação empresarial: valorizar o patrimônio cultural brasileiro e dos demais países em que atua, como Moçambique e Angola (onde está presente há mais de 30 anos), ajudando a preservação da memória para as gerações futuras.

23/10/2015
Nathália Diniz é entrevistada pela Rádio CBN Salvador

A pesquisadora Nathália Diniz, autora do livro Um sertão entre tantos outros, lançado na última FLICA, foi entrevistada pela rádio CBN Salvador e contou um pouco sobre as contribuições historigráficas de sua pesquisa e sobre como foi trabalhar com uma equipe grande. “Esse livro só foi possível por causa do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica, primeiro porque os Sertões englobam um território enorme, então pra que eu visitasse tudo, fizesse as medições, tivesse uma pesquisadora assistente, precisava de uma equipe editorial muito grande. Essa equipe fez com que o texto casasse com as imagens, o projeto gráfico. Isso só seria possível através de um prêmio.” Ouça aqui a entrevista na íntegra.

21/10/2015
Novo livro do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica é lançado na FLICA

Foi lançado no último sábado, na FLICA, o livro “Um sertão entre tantos outros”, de Nathália Diniz, vencedor do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica em 2013. Compuseram a mesa o Editor Chefe da Versal Editores, José Enrique Barreiro; o arquiteto e historiador Fransisco Senna e a própria autora. Também entre os presentes estavam Márcio Polidoro, presidente do Comitê Cultural da Odebrecht; Gilberto Sá, do Conselho de Administração da Odebrecht; o fotógrafo Almir Bindilatti, além de intelectuais, historiadores e membros da comunidade.

31/08/2015
12ª Edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica

A organização do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica informa que as inscrições para a sua 12ª Edição serão abertas em fevereiro de 2016.

17/06/2015
Anunciado o projeto vencedor da 11ª edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica

A Organização Odebrecht anuncia que a Comissão Julgadora do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares, edição 2014, integrada pelos historiadores Francisco Soares Senna, João José Reis e Mary Del Priore; pelo escritor João de Lira Cavalcante Neto; pelo Diretor de Comunicação da Odebrecht, Márcio Polidoro e pelo editor da Versal Editores, José Enrique Barreiro, reunidos em São Paulo, em 15 de junho de 2015, decidiu indicar como vencedor o projeto Os Reais Colégios da Companhia de Jesus no Brasil, de autoria de Anna Maria Fausto Monteiro de Carvalho.

Agradecemos muitíssimo a todos os pesquisadores que se inscreveram e convidamos todos a continuar acompanhando o Prêmio pelo site e pela fan page, e para que se inscrevam novamente na próxima edição.

Na foto ao lado, a comissão julgadora: a partir da esquerda, Lira Neto, Márcio Polidoro, João José Reis, Mary del Priore, Fransisco Senna e José Enrique Barreiro.

18/05/2015
Anunciados os projetos finalistas da edição 2014

É com prazer que anunciamos os 5 finalistas do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica, selecionados pelo Comitê Cultural da organização. Eles serão julgados por uma banca formada por especialistas da área, a ser divulgada em breve. Fique sempre atento ao nosso site para mais informações.

A AMAZÔNIA SOB O OLHAR DE RONDON
Fernando da Silva Rodrigues

OS REAIS COLÉGIOS DA COMPANHIA DE JESUS NO BRASIL
Anna Maria Fausto Monteiro de Carvalho

SETE POVOS DAS MISSÕES DA PARAQUARIA
Luiz Antônio Bolcato Custódio

HISTÓRIA DE UMA VIAGEM AO NORDESTE DO BRASIL, POR ANDRÉ THEVET
José Alexandrino de Souza Filho

TRANSPORTE E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO NO BRASIL DE 1700 A 2000
Eustáquio Reis

27/04/2015
Novo livro do Prêmio Odebrecht é destaque na Rede Globo MT

O Bom dia Mato Grosso, da emissora filiada da Globo TV Centro América, deu destaque para o livro “Luis de Albuquerque - Viagens e governo na Capitania do Mato Grosso (1771 – 1791)”, de Janaína Amado e Leny Caselli Anzai. Durante os sete minutos de reportagem, o livro é mostrado em detalhes, e o projeto é comentado por uma das pesquisadoras, Leny Anzai, que fala sobre a história do governador e sobre o processo de pesquisa para realização do livro.

Recomendamos que todos assistam na íntegra: http://migre.me/pBtXT

17/04/2015
Anunciados os semifinalistas da edição 2015

É com prazer que anunciamos os 11 semifinalistas do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica, selecionados pelo Comitê Cultural da organização. Entraremos em contato com os candidatos caso seja necessário, e em breve anunciaremos os finalistas. Fique sempre atento ao nosso site para mais informações.

HOSPÍCIOS DA TERRA SANTA NO BRASIL
Clarisse Martins Villela


A AMAZÔNIA SOB O OLHAR DE RONDON
Fernando da Silva Rodrigues


OS REAIS COLÉGIOS DA COMPANHIA DE JESUS NO BRASIL
Anna Maria Fausto Monteiro de Carvalho


ESTUDANTES NEGROS E O ENSINO SUPERIOR – SÉCULO XIX
Graziela de Oliveira


CAMPOS NEUTRAIS (MEMORIAL DO VAZIO)
Renato Modernell


TÁTICAS E TRAJETÓRIAS DE WASHINGTON E QUERINO
Helen Sabrina Gledhill


GRANDES INVENTORES BRASILEIROS
Rodrigo Moura Visoni


CORRESPONDÊNCIA DE D. PEDRO II E A PRINCESA ISABEL
Leandro Garcia Rodrigues


SETE POVOS DAS MISSÕES DA PARAQUARIA
Luiz Antônio Bolcato Custódio


HISTÓRIA DE UMA VIAGEM AO NORDESTE DO BRASIL, POR ANDRÉ THEVET
José Alexandrino de Souza Filho


TRANSPORTE E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO NO BRASIL DE 1700 A 2000
Eustáquio Reis

23/02/2015
Livros do Prêmio Odebrecht são elogiados por historiador britânico

Kenneth Maxwell, historiador britânico especializado em História Ibérica e no estudos das relações entre Brasil e Portugal, escreveu recentemente em sua coluna na Folha de São Paulo sobre o atual crescimento acadêmico do interesse pela História do Atlântico. Como precursor desse movimento Maxwell cita o professor Bernard Bailyn, de Harvard, o qual, ao longo de seus seminários sobre o assunto, inspirou pesquisadores como Júnia Furtado, vencedora do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica de 2011, cujo livro foi consagrado com um Jabuti no ano passado. O historiador menciona ainda o livro de Daniel Strum, O Comércio do Açúcar, destacando suas belas imagens e tabelas. Por fim, Maxwell elogia iniciativas de patrocínio como o Prêmio Odebrecht, que permitem a publicação de livros deste tipo e contribuem de maneira inigualável para a historiografia.

Leia a matéria na íntegra: http://migre.me/oGTRg

22/01/2015
As inscrições em números

Todos os anos centenas de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento se inscrevem no Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica, buscando o apoio da Organização para desenvolver seu projeto e transformá-lo num livro de arte.

Em 2014 o Prêmio bateu mais uma vez o seu recorde de inscritos. Ao todo foram 251 inscrições válidas, vindas de 21 estados brasileiros, além de cinco países estrangeiros. São Paulo lidera o ranking com 76 inscritos, seguido pelo Rio de Janeiro (40), pela Bahia (23) e por Minas Gerais (22).

Dentre os pesquisadores, temos 32% de graduados (licenciados e bacharéis), 28% de doutores, 22% de mestres, 11% completaram uma pós lato sensu ou uma espacialização e 7% não se encaixam em nenhuma dessas categorias, incluindo aí os pós-doutores e pós-doutorandos.

Ao longo do ano a nossa fan page no Facebook ganhou mais 12.000 novos seguidores, e ela permanece um dos nossos principais canais de comunicação com o público, portanto não deixe de nos seguir!

Com o fim das inscrições, passamos agora pelo processo de seleção e avaliação das inscrições, que é realizado pelo Comitê Cultural Odebrecht, formado por especialistas da área e membros da organização.

21/01/2015
Elogios ao Açúcar

O já premiado livro de Daniel Strum, “O Comércio do Açúcar”, lançado em 2012 com patrocínio do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica, recebeu mais uma resenha elogiosa, desta vez do conceituado periódico The American Historical Review, membro da Oxford Journals.

Thomas D. Rogers, o pesquisador a quem coube a tarefa de destrinchar o livro de Strum, elogia não só a estrutura e o detalhamento da obra, mas também a qualidade de suas imagens, enfatizando que o livro recompensa o leitor com seu primor visual, fazendo valer seus mais de quatro quilos de peso.

Rogers comenta ainda a astúcia de Strum em focar mais na história do comércio e das inter-relações entre os mercadores do que na história específica dos países envolvidos no comércio. É possível ler um trecho da resenha no site do periódico.

16/01/15
Lançado mais um livro patrocinado pelo Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica

Foi lançado no dia 18 de dezembro, no Edifício-Sede da Odebrecht em Salvador, livro “Luis de Albuquerque - Viagens e governo na Capitania do Mato Grosso (1771 – 1791)”, de Janaína Amado e Leny Caselli Anzai.

Com 352 páginas, a obra reproduz os diários e retratam as dificuldades enfrentadas pelo capitão-general no território luso americano naquele período. Devidamente registradas, as andanças de Luís de Albuquerque dão notícia de rotas, fundação de vilas, métodos de aproximação com os habitantes locais, coleta e criação de toponímias para acidentes geográficos, fenômenos climáticos e exemplares da flora ou fauna regionais. O livro já está disponível nas melhores livrarias.

Para estar sempre bem informado sobre o Prêmio, siga-nos também no Facebook.

17/10/14
Mais um Jabuti!

É com muito orgulho que anunciamos que o livro “O Mapa que Inventou o Brasil”, da historiadora Júnia Ferreira Furtado, foi o vencedor do 56º Prêmio Jabuti da Câmera Brasileira do livro, anunciado nesta semana. Este é o primeiro livro patrocinado pelo Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica a vencer na importante categoria Ciências Humanas.

A pesquisa de Júnia Ferreira Furtado, professora titular da Universidade Federal de Minas Gerais, investiga a colaboração entre Dom Luís da Cunha e o geógrafo do rei da França, Jean-Baptiste Bourguignon D’Anville, para a produção da Carte de L’Amérique Méridionale, apresentada no Tratado de Madri, em 1750, e que terminou por traçar as feições do atual território brasileiro.

Para estar sempre bem informado sobre o Prêmio, siga-nos também no Facebook.

10/07/2014
Inscrições para a 11ª edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica abrem em
agosto

A Organização Odebrecht tem o prazer de anunciar que as inscrições para a 11ª edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares acontecerão entre os meses de
agosto e outubro de 2014.

Como de costume, estamos buscando projetos de pesquisa inéditos sobre fatos, processos e personagens da História do Brasil, que contribuam significativamente para a ampliação do entendimento da formação econômica, sociopolítica ou artística brasileira. Vale lembrar que o projeto será consolidado em uma publicação de arte, portanto a vertente iconográfica do também é muito importante

Para estar sempre bem informado sobre o Prêmio, siga-nos também no Facebook.

04/12/2013
Anunciados os grandes vencedores da 10ª edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica

A Organização Odebrecht, por meio de seu Comitê Cultural, tem o prazer de anunciar os grandes vencedores da 10ª edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares 2013. São eles:

  • Um Sertão Entre Tantos Outros, de Nathalia Diniz.

  • O Conhecimento Científico do Mundo Português do Século XVIII,
    de Magnus Roberto de Mello Pereira e Ana Lúcia Rocha Barbalho da Cruz.

Agradecemos a todos pela participação e aguardamos suas contribuições no ano que vem.

18/11/2013
Anunciados os cinco finalistas da 10ª Edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica

A Organização Odebrecht, por meio de seu Comitê Cultural, tem o prazer de anunciar os cinco projetos finalistas da 10ª edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares. São eles:

  • IGREJA E CONVENTO DE SANTA TERESA - O MUSEU DE ARTE SACRA DA BAHIA.

  • MESTRE VALETIM - O MULATO AMIGO DO VICE-REI.

  • O 8º CONDE DOS ARCOS - ENTRE O AQUÉM E O ALÉM MAR.

  • O CONHECIMENTO CIENTÍFICO DO MUNDO PORTUGUÊS NO SÉCULO XVIII.

  • UM SERTÃO ENTRE TANTOS OUTROS.

O vencedor será anunciado em dezembro. Aproveitamos a oportunidade para agradecer a todos os inscritos, e para reforçar nosso convite para que inscrevam seus projetos novamente no ano que vem.

24/10/2013
Nota de falecimento

É com pesar que informamos o falecimento, no último dia 18, da historiadora e professora aposentada da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Consuelo Novais Sampaio. Consuelo foi vencedora da 1ª edição do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica, que resultou na publicação do livro 50 Anos de Urbanização: Salvador da Bahia no Século XIX, pela Versal Editores. Membro da Academia de Letras da Bahia (ALB), onde ocupava a cadeira de número 40 desde 1992, a historiadora dirigiu também o Centro de Memória da Bahia, entre 2003 e 2011

22/10/2013
Anunciados os 10 semi-finalistas do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – edição 2013

A Organização Odebrecht, por meio de seu Comitê Cultural, tem o prazer de anunciar os 10 projetos semifinalistas que passarão à próxima etapa do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares.

São eles:

1. Arte e ciência na visão da natureza de Wied-Neuwied, de Douglas Canjani de Araujo

2. Igreja e Convento de Santa Teresa: o Museu de Arte Sacra da Bahia, de Griselda Pinheiro Klüppel e Francisco de Assis Portugal Guimarães (organizadores)

3. Memórias do cordel nos acervos dos cordelistas, de Sylvia Regina Bastos Nemer

4. Mestre Valetim - o mulato amigo do vice-rei, de Priscilla Paula Helena Wood

5. Migrantes sulistas ao interior brasileiro, de José Carlos Radin e Paolo Meneghini

6. Nobres e Militares Espanhóis na Conquista das Capitanias do Norte do Estado do Brasil entre os Séculos XVI e XVII, de Kalina Vanderlei Paiva da Silva

7. O 8º Conde dos Arcos - entre o aquém e o além mar: política, jogos de poder e concepções de mundo no império português do século XIX, de Jaime Oliveira do Nascimento e Marcus Soares de Albergaria de Noronha da Costa

8. O conhecimento científico do mundo português no século XVIII, de Magnus Roberto de Mello Pereira e Ana Lúcia Rocha Barbalho da Cruz

9. O olhar de Rondon: visões do Rio de Janeiro sobre o acervo fotográfico da comissão de inspeção das fronteiras norte do Brasil (1927-1930), de Fernando da Silva Rodrigues

10.Um sertão entre tantos outros, de Nathália Maria Montenegro Diniz

Até o dia 30 de janeiro de 2014 serão conhecidos os 5 finalistas, e, até o final de fevereiro, o grande vencedor.

18/10/2013
Mais um Jabuti

É com muito orgulho que anunciamos que o livro “O Comércio do Açúcar – Brasil, Portugal e Países Baixos (1595 – 1630)”, de Daniel Strum, ficou em 2º lugar na categoria projeto gráfico do 55º Prêmio Jabuti. O responsável pela belíssima programação visual do livro é o designer Eduardo Vilas Boas, da Versal Editores. Outra boa notícia é que o livro será publicado em inglês, em parceria com a Stanford University Press. O lançamento é no próximo dia 24, na Brown University.

07/06/2013
Novas parcerias

É com muito prazer que o Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica anuncia sua participação em dois grandes e importantíssimos eventos neste ano de 2013, ambos voltados para a pesquisa, a divulgação e o enriquecimento da História: entre os dias 22 e 26 de julho estaremos presentes no XXVII Simpósio Nacional de História, organizado pela Associação Nacional de História (Anpuh), em Natal, RN; e entre os dias 19 e 22 de setembro, estaremos no 2º Festival de História de Diamantina, apresentado pelo Ministério da Cultura. Os participantes de ambos os eventos terão a oportunidade de conhecer melhor os livros já publicados pelo Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica, além de tirar dúvidas sobre inscrições, regulamento e afins.

Esperamos encontrá-los por lá. Entre nos sites dos dois eventos para maiores informações.

http://www.snh2013.anpuh.org/
http://www.festivaldehistoria.com.br/

LEMBRANDO QUE AS INSCRIÇÕES PARA A EDIÇÃO DO PRÊMIO DE 2013 ESTÃO ABERTAS ATÉ 30 DE JUNHO.

05/04/2013
Anunciado o projeto vencedor de 2012

Foi anunciado no último dia 7 de março o projeto vencedor do 9º Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares. Provisoriamente intitulado “A grande viagem do governador Luis de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres entre Lisboa, Rio, Goiás, Mato Grosso e Amazônia - 1771-1791”, o projeto consiste na publicação de seis diários de Luiz de Albuquerque, que governou o Mato Grosso no fim do século XVIII. Os diários, que se julgavam perdidos, foram encontrados pela pesquisadora Janaína Amado, doutora em História pela USP, na Newberry Library, em Chicago, EUA, e cobrem não apenas a chegada do governador até o Mato Grosso, mas também suas travessias dentro da capitania, para fins de exploração e construção de fortes, além de sua viagem de retorno a Portugal, via Belém do Pará. Completa a dupla de pesquisadoras Leny Caselli Anzai, doutora em História pela Universidade de Brasília.

01/03/2013
Imprensa destaca o lançamento d'O Comércio do Açúcar

O jornal A Tarde e a revista Istoé Dinheiro destacaram o lançamento do mais novo livro lançado com patrocínio do Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica. O jornal baiano destacou o concorrido evento de lançamento livro, enquanto a revista de economia teceu elogios à iniciativa da Organização Odebrecht, salientando que ações como esta ajudam a “quebrar o paradigma de que o nosso país não tem memória”.

01/02/2013
Açúcar na Revista Continente

A revista pernambucana Continente, especializada em cultura, publicou uma detalhada resenha sobre o livro O Comércio do Açúcar, de Daniel Strum, lançado recentemente pelo Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica. A autora da matéria elogia o rigor histórico da pesquisa e a abundância de material imagético, ressaltando que o livro de Daniel é “peça fundamental para se compreender o Nordeste”. Também são revisitados outros autores relavantes que enxergaram a relevância do açúcar para a formação do país, como Gilberto Freyre e Caio Prado Junior, dando a dimensão da importância do assunto dentro da historiografia brasileira.

Arquivo