Comunicação

Notícias

A Hidrelétrica Santo Antônio alcançou, entre todos os projetos analisados, o maior número de notas máximas na categoria Implantação em avaliação realizada pela IHA – International Hydropower Association – uma organização sem fins lucrativos, fundada há quase vinte anos, com o suporte da UNESCO, e que mede a sustentabilidade de empreendimentos hidrelétricos. 

Construída no Rio Madeira, em Rondônia, a hidrelétrica recebeu nota máxima em catorze dos vinte itens avaliados no Protocolo relativo à fase de Implantação. Cinco desses itens com nota máxima estão diretamente relacionados às atividades do Consórcio Construtor Santo Antônio, do qual a Odebrecht Infraestrutura - Brasil é líder. 

O estudo levou em consideração questões ambientais, sociais, técnicas e financeiras na performance do projeto. O Protocolo de Implantação, que tem como referência as políticas de salvaguarda do Banco Mundial, foi desenvolvido pela IHA em parceria com governos, sociedade civil e o setor privado com o objetivo de apontar boas práticas em cada um desses tópicos. De acordo com o resultado obtido na pontuação, que indica quais são as forças, fraquezas e oportunidades de um projeto, pode-se desenvolver mecanismos que visem o seu constante aperfeiçoamento. 

“O resultado positivo do Protocolo aumenta a credibilidade do empreendimento junto à sociedade e aos stakeholders. Também fortalece a relação com clientes que valorizam ações proativas em sustentabilidade que têm por objetivo mitigar riscos nos investimentos”, afirma Luiz Gabriel de Azevedo, responsável por Sustentabilidade na Odebrecht Infraestrutura - Brasil. A avaliação da IHA poderá facilitar no futuro tanto a venda de créditos de carbono quanto influir na valorização da empresa no mercado de ações. 

Metodologia

Antes da aplicação do Protocolo, que exigiu um ano e meio de trabalho, a IHA treinou integrantes da UHE Santo Antônio para que compreendessem sua metodologia e critérios. Verificou a documentação técnica, buscou evidências em campo e entrevistou integrantes do negócio e membros de organizações e entidades como IBAMA, Ministério do Meio Ambiente, BNDES, Funai, ANA, Aneel, Governo de Rondônia, Prefeitura de Porto Velho, Incra, Ministério da Pesca e Aquicultura, além de representantes indígenas, das comunidades impactadas, de sindicatos e veículos de comunicação. 

Segundo Guilherme Abbad, gerente de Sustentabilidade da Santo Antonio Energia, concessionária responsável pela implantação e operação da Hidrelétrica Santo Antonio, o trabalho entorno da aplicação do Protocolo permitiu integrar grande parcela da empresa. “Isso fez com que todos se apropriassem do conhecimento, e o reflexo dessa integração é percebido no desempenho das equipes, com a elevação da autoestima e sentimento de orgulho. O trabalho da IHA propiciou ainda a identificação de oportunidades de melhoria dentro da Santo Antônio Energia, como um olhar mais atento para as mudanças climáticas”, destaca Abbad.

Investimento

O Protocolo de Implantação cita os diversos acordos e programas desenvolvidos pela UHE Santo Antônio com os governos federal, estadual e municipal para investimentos em ações de sustentabilidade, nas quais serão aplicados R$ 2 bilhões. Entre elas estão 28 programas socioambientais previstos no Projeto Básico Ambiental da hidrelétrica, como ações de compensação social, projetos de suporte ao município e projetos na área de saúde pública. 

De acordo com o Protocolo, para reduzir o desemprego na região e evitar a migração, 70% dos trabalhadores da UHE são locais. O documento destaca o Acreditar, por onde passaram 42 mil pessoas, como um “ambicioso programa de treinamento” e aponta que foram capacitados cerca de quatro mil fornecedores para atender a usina. A capacitação se estendeu ainda a cinco mil membros da comunidade, entre eles, professores, policiais, agentes de turismo, agricultores e comerciantes.

“O resultado da avaliação realizada pela IHA reflete o grande esforço que dispensamos, desde o início, para que a execução das obras de implantação da UHE fosse realizada com sustentabilidade, respeitando a preservação do meio ambiente, além da saúde e segurança das pessoas envolvidas no projeto. Também estamos deixando um legado valioso para a região com as ações do programa Acreditar”, diz Délio Galvão, diretor de contrato do Consórcio Construtor Santo Antônio (CCSA).