Negócios

Nossos Negócios

Odebrecht Engenharia & Construção - Infraestrutura

Presente em 16 países, a Odebrecht Engenharia & Construção - Infraestrutura presta serviços de engenharia e construção de infraestrutura no Brasil, na América Latina, na África, nos Emirados Árabes Unidos e em Portugal, atendendo a Clientes públicos e privados. Nos Estados Unidos, atua por meio da Odebrecht Construction USA.

A Odebrecht Engenharia & Construção - Infraestrutura gera oportunidades de trabalho para as populações locais e contribui para o desenvolvimento sustentável de cada região, atuando nas seguintes áreas:

  • Portos e aeroportos
  • Transportes urbanos
  • Saneamento
  • Irrigação
  • Hidrelétricas
  • Requalificação urbana
  • Habitação
  • Energia
  • Agroindústria
  • Mineração
  • Arenas Esportivas

Composta por mais de 30 mil Integrantes, a Odebrecht Engenharia & Construção - Infraestrutura está presente atualmente nos seguintes países: Brasil, Angola, Argentina, Colômbia, Cuba, Emirados Árabes Unidos, Equador, Gana, México, Moçambique, Panamá, Peru, Portugal, República Dominicana, Venezuela e nos Estados Unidos.

O compromisso da Organização nessas regiões vai além das obras, e inclui ações que visam o desenvolvimento sustentável e a geração de trabalho e renda.

Atuação no Brasil

No Brasil, a OEC - Infraestrutura atua em projetos de engenharia e construção que geram benefícios para a população. Entre as recentes entregas estão as Arenas Cariocas 1, 2 e 3 que receberam os atletas durante as Olimpíadas do Rio de Janeiro, além do Centro Internacional de Transmissão (IBC, em inglês), o Centro Principal de Mídia (MPC, em inglês) e a área de convivência do Parque Olímpico do Rio de Janeiro. Além disso, vale destacar o projeto de requalificação urbana da área do porto carioca, batizado de Porto Maravilha, que abriga o moderno Museu do Amanhã.

A empresa também colabora para o fortalecimento da capacidade produtiva do país ao direcionar esforços para a melhoria da mobilidade urbana e da logística das cidades, com investimentos em sistemas de transporte, portos e aeroportos. Neste segmento, destacam-se a construção da Linha 4 do Metrô do Rio, já concluída, e a construção da Linha 5 do Metrô de São Paulo, que está em andamento. 

No setor de energia, seu portfólio acumula a construção de 85 usinas hidrelétricas, 17 usinas térmicas, duas usinas nucleares, barragens, além da implantação de 5,7 mil km de linhas de transmissão. Neste momento, a empresa executa as UHE’s Baixo Iguaçu, no Paraná, e Belo Monte, no Pará. Ao todo, são mais de 65 mil MW em projetos já concluídos. 

  • Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro

  • Museu do Amanhã, na região central do Rio de Janeiro

  • Arenas Cariocas 1, 2 e 3

  • Porto Maravilha, Rio de Janeiro

  • No setor de energia, seu portfólio acumula a construção de 81 usinas hidrelétricas

  • Itaipava Arena Pernambuco, na região da Grande Recife (PE)

  • Transolímpica, no Rio de Janeiro

A empresa também administra ativos no setor de energia elétrica e realiza investimentos que alavancam projetos para os Negócios de Engenharia & Construção no Brasil. Entre os empreendimentos que contam com investimentos da empresa estão a Usina Hidrelétrica Santo Antônio (3.568 MW), em Rondônia, que será a terceira maior usina hidrelétrica do país em energia assegurada; a Usina Hidrelétrica Teles Pires (1.820 MW), na divisa do Mato Grosso com o Pará, com capacidade para abastecer uma cidade de aproximadamente 6 milhões de habitantes, entre outros.

Atuação no Exterior

Em Angola, a Odebrecht atua na execução de diversas obras, das quais se destacam: a Hidrelétrica de Laúca, com 2.067 MW de potência, a maior de Angola, as obras civis e eletromecânicas da Hidrelétrica de Cambambe, além das obras de infraestrutura da futura Refinaria de Lobito e o Projeto Vias de Luanda, que busca requalificar a capital angolana.

Em Gana, a OEC-Infraestrutura executa as obras do Corredor Rodoviário Oriental, o seu primeiro projeto no país. 

Ainda no continente africano, a Organização está presente em Moçambique, onde atuou em projetos que estão contribuindo para o desenvolvimento do norte do país, como o do terminal de carvão no Cais 8 do Porto da Beira e o da Mina de Carvão de Moatize, ambos para a Vale. Importante destacar a construção do Aeroporto Internacional de Nacala, capital do país, agraciado pela International Property Awards com o prêmio de melhor projeto de arquitetura para edificações públicas na África, em 2015. 

  • Aeroporto Internacional de Nacala, em Moçambique

  • Hidrelétrica de Cambambe, em Angola

  • Projeto Pump Station, nos Emirados Árabes Unidos

  • Ponte Vasco da Gama, em Portugal

  • Hidrelétrica do Baixo Sabor, no norte de Portugal

Em Portugal, a Odebrecht concluiu as obras de implantação da Hidrelétrica do Baixo Sabor, no norte do país, aplicando soluções inovadoras de engenharia e construção. 

Nos Emirados Árabes Unidos, executa a mais profunda e complexa estação de bombeamento de esgoto no mundo, por meio do projeto da Pump Station, em Abu Dhabi. 

No México, onde atua há 25 anos, a Odebrecht Engenharia & Construção Infraestrutura entregou, em 2016, dois relevantes projetos para o país: o Gasoduto Los Ramones II Norte (452 km) e a planta de polietileno da Braskem Idesa, considerado o complexo petroquímico mais moderno da América Latina, que representou um investimento de US$ 5,2 bilhões. Em ambos os projetos, gerou-se mais de 30.000 empregos diretos em seus picos. Para a Pemex, a empresa continua com os serviços de terraplenagem para preparação de plataformas para a Reconfiguração da Refinaria de Tula.

Na Argentina, constrói o Sistema de Tratamento de Água da Zona Norte, responsável por melhorar o abastecimento de água nos subúrbios do norte da província de Buenos Aires, e o soterramento das linhas de trem de Sarmiento, que liga Buenos Aires a Moreno.

Na Colômbia, país em que atua há 25 anos, atualmente realiza as obras de manutenção e duplicação da rodovia Ruta del Sol, de 528 km, e as obras de construção e melhoria da transversal Rio de Oro-Aguaclara-Gamarra, de 82 km, em sinergia com a Odebrecht Latinvest. Também desenvolve o projeto de recuperação da navegabilidade do Rio Magdalena, principal hidrovia do país, com uma extensão de 908 km.

Em Cuba, ampliou o Porto Mariel e atua na reforma e ampliação do Aeroporto de Havana. Além disso, administra a Usina Açucareira 5 de Setembro.

  • Metrô Los Teques, na Venezuela

  • Aeroporto Internacional de Miami, Flórida

  • Sistema de Tratamento de Água da Zona Norte, Buenos Aires, Argentina

  • Trem subterrâneo Soterramiento de Sarmiento, na Argentina

  • Porto Mariel, em Cuba

  • Sistema de Tratamento de Água da Zona Norte, Buenos Aires, Argentina

  • Projeto Tocoma, na Venezuela

  • Adrienne Arsht Center for the Performing Arts, Miami, Flórida

  • Porto de Miami, Flórida, nos Estados Unidos

Com 29 anos de atuação no Equador, recentemente concluiu a obra do Aqueduto La Esperanza, com 93 km de extensão, e do Poliduto Pascuales-Cuenca, de 215 km. 

No Panamá, a Odebrecht concluiu recentemente as obras do projeto Mejoramiento Vial de la Avenida Cincuentenario, uma extensão do projeto de preservação do patrimônio histórico panamenho. Atualmente executa importantes obras no país, como a reabilitação da Carretera Panamericana, a Linha 2 do Metrô e a expansão do Aeroporto Internacional de Tocumen.

No Peru, a Odebrecht entregou os novos terminais do Porto de Matarani. O porto é considerado um dos mais modernos da América do Sul por sua automatização na recepção, armazenamento e concentração de minério de ferro, sendo capaz de processar 2.300 toneladas do produto por hora.

Na República Dominicana, executa as obras da Termoelétrica Punta Catalina (720 MW), que contribuirá para a melhoria do setor energético do país.

Na Venezuela, a empresa atua em importantes empreendimentos, como as obras do Aeroporto Internacional Simón Bolívar, em Maiquetía, e dos sistemas integrais da Linha 5 do Metrô de Caracas e do Metrô de Caracas-Guarenas-Guatire. 

Nos Estados Unidos, a Odebrecht Construction USA atua em projetos diversificados de infraestrutura, como a construção da rodovia Grand Parkway, no Texas, e obras de modernização no Aeroporto Internacional de Miami. A empresa concluiu recentemente obras de infraestrutura no Porto de Miami e no Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale, na Flórida.

Apoio aos Negócios

A Odebrecht Engenharia & Construção - Infraestrutura também oferece apoio logístico e administrativo às obras internacionais por meio da Odebrecht Serviços de Exportação.

Prêmios e Reconhecimentos

A Odebrecht Engenharia & Construção recebeu o prêmio Best Global Projects da revista americana Engineering News-Record (ENR), em 2016, na categoria “Aeroportos”, com o Aeroporto Internacional de Nacala, em Moçambique. O mesmo projeto foi agraciado pela revista International Finance Magazine como o melhor de 2016 no país. No ano anterior, a empresa já havia recebido a mesma premiação, desta vez na categoria “Estradas e Rodovias”, pelo projeto da Cinta Costera, no Panamá, e na categoria Ferrovias, pelo projeto de engenharia da Linha 1 do Metrô de Lima, capital do Peru.

Além disso, a Odebrecht foi premiada por dez vezes consecutivas como a Empresa mais Admirada do Brasil, pela revista Carta Capital; apontada como a Melhor Construtora, pelo quarto ano consecutivo, pela Revista Ferroviária; e considerada a maior construtora internacional de hidrelétricas pela revista Engineering News - Record (ENR) por oito vezes.

A Odebrecht foi eleita uma das melhores empresas para trabalhar na Argentina e no México, segundo o Great Place to Work Institute. Ainda no México, pelo nono ano consecutivo, recebeu o reconhecimento do Censo Mexicano de Filantropia, como empresa socialmente responsável. Nos Estados Unidos, a Odebrecht Construction USA foi considerada uma das Empresas Mais Seguras do país, de acordo com a revista EHS Today, e uma das Melhores Empresas para Trabalhar na Flórida, de acordo com a revista Florida Trend.

Em Angola, recebeu o Prêmio Amiga da Natureza, outorgado pelo Ministério do Ambiente, além do Prêmio Excellens Civitas, oferecido pela PriceWaterHouseCoopers (PwC). Já em Gana, a Odebrecht foi reconhecida como Empresa de Engenharia do Ano em Responsabilidade Social, título concedido pelo Centre of CSR – West Africa.

Túnel do Tempo

Edifício Belo HorizonteA Organização foi criada em 1944 e a empresa que daria origem à Construtora Norberto Odebrecht era responsável pelos primeiros contratos. Desde sua fundação, caracterizava-se pela inovação e emprego de avançados métodos construtivos da época. O edifício Belo Horizonte (foto) é um dos principais marcos do período, erguido em nove meses ante o prazo normal daquele tempo, de três anos.

Logo vieram outros projetos na Bahia, que fortaleceram a credibilidade da construtora. Em 1953, conquistou um novo Cliente, a Petrobras – cujo relacionamento se consolidou ao passar dos anos e permanece até hoje – e iniciou o processo de desenvolvimento no Nordeste brasileiro.

Em 1969, a empresa despontou na paisagem carioca para a construção do edifício-sede da Petrobras: foi o começo da expansão nacional, que permitiu à Odebrecht dominar obras de grande porte e administrar projetos de logística complexa. Na década de 1970, somava mais de 500 contratos em todo o Brasil e passou a investir em tecnologia especial, como metrôs, usinas nucleares, grandes aeroportos e pontes. Destaque para as obras do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, Galeão, e da Usina Nuclear de Angra dos Reis (foto).

Mesmo com os processos de diversificação dos Negócios e de internacionalização, a empresa não deixou de crescer e de se desenvolver no setor de Engenharia e Construção. Na década de 1980, incorporou a empresa paulista CBPO - Companhia Brasileira de Projetos e Obras, a sexta entre as grandes construtoras do país.

Metromover Miami A Odebrecht iniciou sua trajetória internacional no Peru, em 1979, onde atua há 37 anos ininterruptos. Servindo Clientes públicos e privados, a empresa expandiu sua atuação para a África, onde iniciou suas atividades em Angola em 1984, e para a Europa, quando passou a atuar em Portugal a partir de 1988. 

A expansão na América Latina se deu pela Argentina (1986) e, em anos seguintes, passou a atuar na Colômbia (1993), no Equador (1987), no México (1992) e na Venezuela (1992). Na década de 2000, iniciou atuação na República Dominicana (2002), no Panamá (2004), em Cuba (2010) e na Guatemala (2013).

A operação nos Estados Unidos começou em 1990, quando a Odebrecht Construction foi a primeira empresa brasileira a realizar uma obra pública no país com a ampliação do Metromover (foto) – metrô elevado que serve à área central de Miami, na Flórida. Em 2003, iniciou sua atuação nos Emirados Árabes Unidos, onde está até hoje.

Ao longo de 37 anos de internacionalização, a Odebrecht Engenharia & Construção Internacional atuou também nos seguintes países: África do Sul, Botsuana, Costa Rica, Djibuti, Gabão, Guiné Conacri, Kuwait, Libéria, Líbia, Paraguai  e Uruguai.