Negócios

Nossos Negócios

Odebrecht Óleo e Gás

Com mais de 35 anos de experiência junto à indústria de Óleo e Gás, a Organização acompanhou o desenvolvimento do setor na economia brasileira. Em 1979, por meio da Odebrecht Perfurações Ltda., foi a primeira empresa privada do país a perfurar poços offshore para a Petrobras. Foi, também, pioneira na operação de uma plataforma semissubmersível em lâmina d’água de mil metros. 

A Odebrecht Óleo e Gás é uma Empresa da Organização Odebrecht, de origem brasileira com atuação no Brasil, Angola, México e Venezuela, capaz de prover soluções integradas para a indústria de óleo e gás upstream, nas fases de investimentos e operações.

Suas áreas de atuação são:

  • Manutenção e Serviços Offshore
  • Perfuração Offshore
  • Produção Offshore
  • Construção Submarina
  • Serviços Especializados a Poços

Considerada a empresa brasileira privada com o maior número de unidades de perfuração offshore para águas ultraprofundas, alcança a sétima posição no ranking mundial do setor. Sua frota conta com 18 unidades, sendo sete sondas de perfuração, duas unidades de produção (FPSOs - Floating Production Storage and Offloading) e três unidades de lançamento de linhas (PLSVs - Pipe Laying Support Vessel) em operação, e ainda, cinco unidades de perfuração e uma unidade de produção em construção. 

Na Venezuela, a Odebrecht Óleo e Gás alcançou um pico de produção diária de 6,2 mil barris de petróleo no contrato de prestação de serviços especializados a poços para a Petrourdaneta, empresa mista com participação da Odebrecht (40%) e da estatal venezuelana PDVSA (60%). Em Angola, descobriu óleo no campo Cubal-1, no Bloco 16.

Entre as realizações mais recentes estão:

  • Afretamento e operação da Unidade de Perfuração Offshore NORBE VIII, com a empresa Total;
  • Conclusão de Project Bond para financiamento das unidades ODN I, ODN II e NORBE VI, com vencimento para 2022 e captação de US$ 1,69 bilhão;
  • Formação de 45 Integrantes por meio do Programa Embarcar (principal iniciativa para capacitação de equipes operacionais offshore), sendo 22 Jovens Técnicos, 17 Jovens Parceiros e seis profissionais de bordo;
  • Conquista do contrato do FPSO TLD Campo de Libra, que será operado para a Petrobras;
  • Operação de três unidades de lançamento de linhas (PLSVs - Pipe Laying Support Vessel) para a Petrobras, em parceria com a Technip e a Ceona Chartering Ltda.;
  • Primeiro lugar no Prêmio Destaque 2014 da Organização Odebrecht, na categoria Inovação. 
FPSO Cidade de Itajaí
Unidade de Perfuração ODN Tay IV
A Odebrecht Óleo e Gás oferece soluções integradas
PLSVs (Pipe Laying Support Vessel)
Unidade de Perfuração Offshore NORBE VIII
Plataforma autoelevatória NORBE I

Prêmios e Reconhecimentos

A atuação no setor rendeu à Odebrecht Óleo e Gás condecorações como os prêmios Latin American Offshore Drilling Deal e Latin America Oil & Gas Deal of the Year 2013, concedidos pela revista Project Finance; e o Project Bond Deal of the Year 2013, concedido pela revista World Finance.

Túnel do Tempo

Na década de 1970, o Brasil investia maciçamente na prospecção e exploração interna de petróleo, ante a dependência do combustível externo. Entre 1975 e 1976, a Odebrecht iniciou as sondagens nos campos de Vaza-Barris, em Sergipe, e de Garoupa e Pargo, na Bacia de Campos (RJ), onde se anunciara a descoberta de petróleo em 1974.

Em 1979, é criada a Odebrecht Perfurações Ltda. (OPL), para a perfuração de poços em terra e no mar e lançamento de oleodutos e serviços complementares. Após vencer a primeira concorrência da Petrobras para perfuração na plataforma continental, a OPL adquiriu, em Cingapura, a plataforma autoelevatória NORBE I. A operação fez com que a Odebrecht se tornasse a primeira entre as empresas privadas brasileiras a prestar esse tipo de serviço.

Na década de 1980, encorajou-se a fazer perfurações em áreas com lâminas d’água superiores a 90 metros de profundidade, além de aprender a operar com plataformas semissubmersíveis. Uma parceria com a Triangle Drillind e a francesa Foramer S.A. permitiu a operação das NORBE I, II, III, IV e V. Ao fim da década, a OPL já era a maior frota privada do país para perfuração e exploração de petróleo no mar, com 8 plataformas.

Nos anos 1990, a empresa expandiu sua atuação para o exterior, incluindo o Mar do Norte, com foco na prestação de serviços e operação de FPSO para novos Clientes. Em 2006, a Organização concentrou seus investimentos em petróleo e gás em um novo Negócio, a Odebrecht Óleo e Gás.