Comunicação

A Odebrecht e Irmã Dulce

Esta é uma história de amizade, confiança, respeito e crença. É parte fundamental da própria história da Odebrecht.

Comunicado do Diretor Presidente da Odebrecht S.A., Luciano Guidolin, a todos os integrantes do Grupo Odebrecht

“Independente da orientação religiosa de cada um de nós, a canonização de Irmã Dulce neste domingo, em cerimônia no Vaticano, enche-nos de orgulho por termos contribuído de forma muito próxima, e nos seus momentos mais importantes e decisivos, com as obras sociais que acabaram revelando a dimensão extraordinária e o legado da nova santa brasileira e a sua dedicação incansável aos doentes e aos pobres. 

Esta contribuição deve-se à iniciativa e sensibilidade de nosso fundador Dr. Norberto Odebrecht, que se tornou amigo de Irmã Dulce nos anos 40, quando ainda era estudante da Escola Politécnica. Acompanhou o início da atividade missionária de Irmã Dulce. Aprendeu muitas lições com a persistência dela diante de objetivos aparentemente inalcançáveis e com a maneira como superava as mais desafiadoras situações. 

Dr. Norberto foi o engenheiro que construiu a primeira obra idealizada pela freira, o Círculo Operário da Bahia, entregue em 1948. A partir daí, e durante mais de 60 anos, o Grupo Odebrecht esteve sempre ao lado das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID).

Essa longa parceria nutriu, também, um relacionamento marcado por  aprendizados recíprocos. Muitos  jovens  parceiros  recém-chegados à Odebrecht iniciaram, ali, sua educação pelo trabalho, sob a liderança de alguns dos nossos mais  experientes mestres de obra  e mediante vivências nas quais a sabedoria inspiradora de Irmã Dulce era compartilhada na prática cotidiana da pedagogia da presença, da qual ela jamais abriu mão.

Esta é uma história de amizade, confiança, respeito e crença que precisamos ter sempre na lembrança. É parte fundamental da própria história da Odebrecht. Mostra como desde as nossas origens temos compromissos com as comunidades onde atuamos e com valores universais, como o respeito às pessoas e à vida.”  

Principais obras da Odebrecht para Irmã Dulce

OBRA LOCALIZAÇÃO INÍCIO ENTREGA
Círculo Operário Salvador 1946 1948
Albergue e Hospital Santo Antônio Salvador 1957 1960
1ª ampliação do Hospital Santo Antônio Salvador 1982 1983
2ª ampliação do Hospital Santo Antônio Salvador 1985 1986
Construção do Pavilhão para excepcionais João Paulo II, do Centro de Reabilitação e Prevenção de Deficiências, da Central de Material Esterilizado; e reforma e ampliação do Centro Cirúrgico e na Clínica Médica Masculina Salvador 1991 1992
Central de Material Esterilizado e Centro Cirúrgico no Hospital Santo Antônio Salvador 1991 1992
Centro Educacional Santo Antônio Simões Filho 1983 1983
Padaria do Cesa Simões Filho 1991 1992
Depósito de cereais do Cesa Simões Filho 1991 1992
Reformas e ampliação no laboratório e banco de sangue do Hospital Santo Antônio, construção de um acesso ao Centro de Reabilitação e Prevenção de Deficiências e execução do Memorial de Irmã Dulce no Convento Santo Antônio Salvador 1993 1994
Santuráio Irmã Dulce (patrocínio NO) Salvador 2003 2003
Praça Irmã Dulce (patrocínio NO) - Executada pela Conder Salvador 2011 2014

 

Histórias curiosas entre Dr. Norberto e Irmã Dulce

MÃO NA ORELHA

“Norberto Odebrecht narrava que certo dia estava no escritório quando lhe foi avisado que Irmã Dulce desejava conversar com ele. Ele pediu que ela entrasse imediatamente, como sempre fazia. E, diante dele, ela foi logo pedindo sua ajuda para seus doentes. Querendo ajudar, mas desejoso de ensinar ao Bom Anjo da Bahia como administrar em vista do "ser, crescer e perpetuar", ele foi logo fazendo um longo discurso, mostrando a necessidade de se ter um plano de ação eficiente, da urgência de formação de líderes para as Obras Sociais, etc, dando-lhe uma série de conselhos empresariais. Enquanto Norberto Odebrecht falava, Irmã Dulce colocou uma mão sobre a orelha esquerda e, levantando a cabeça, olhava fixamente para os olhos do conselheiro. Inquieto com aquela atitude, e incomodado pelo gesto da mão, Norberto parou o discurso e perguntou a Irmã Dulce se o que ele estava falando não lhe interessava, já que ela colocara uma mão sobre a orelha esquerda. Ela então, amavelmente, respondeu: "Não, meu filho. Eu estou apenas tapando uma orelha porque eu não quero que o que você está me ensinando entre por uma orelha e saia pela outra. Então eu coloquei essa mão aqui para que o ensinamento entre por uma orelha, vá para o meu cérebro e, depois, desça para o meu coração". Diante de tal atitude, Norberto me disse que descobriu, naquele instante, que irmã Dulce falava três idiomas: O primeiro era o da mente, pelo desejo de aprender; o segundo era o idioma do coração, pois aprendia para amar sempre mais; e o terceiro idioma era o das mãos, pois praticava, pelo amor, o que aprendia.”

Dom Gregório Paixão, monge Beneditino e Bispo de Petrópolis, em 18/08/2014

 

O DINHEIRO É COM VOCÊ E IRMÃ DULCE

“No início dos anos 40, recém-formado em engenharia e às voltas com a deficitária construtora herdada pelo pai, o empresário Norberto Odebrecht foi chamado ao convento franciscano de Salvador pelo frei Hildebrando Kruthaup. Personalidade das mais influentes na Bahia àquela época, o religioso participou ao jovem engenheiro que ‘havia chegado o momento de lhe dar um presente’. O presente era a construção, no bairro de Roma, na Cidade Baixa, de um conjunto de obras para o Círculo Operário, entidade que congregava milhares de trabalhadores. Além da sede do Círculo, seria construído um cinema, uma capela e uma residência para Irmã Dulce, que dirigia a entidade. ‘Essa questão de dinheiro é com você e a Irmã Dulce’, dissera-lhe o frade. Apresentado à religiosa, então com 29 anos, Norberto Odebrecht disse-lhe que não havia como bancar a obra – estava até mesmo pensando em mudar a construtora para outro estado, por causadas dificuldades financeiras. A freira aconselhou-o a ficar na Bahia e ajuda-la, ‘pois Santo Antonio lhe traria muitas outras obras para levantar sua construtora’. O dinheiro terminou saindo do governo federal, por intermédio do então presidente da República, Eurico Gaspar Dutra, e por insistência de Irmã Dulce. Ela passou um mês no Rio de Janeiro até conseguir uma audiência com o presidente, que a atendeu às 5 horas da manhã”.

Matéria “Um presente de grego”, publicada pelo jornal Gazeta Mercantil em 06/11/1996

 

MEU TESOUREIRO É SANTO ANTÔNIO

“Noutra ocasião, quando as Obras Sociais passavam por grande ampliação, fui procurado pelos Engenheiros, preocupados com a falta de planejamento financeiro da Instituição. Pediam-me uma providência. Chamei um Contabilista muito sério e disciplinado, pedindo-lhe que se apresentasse como Voluntário à Irmã Dulce, disposto a trabalhar de graça, o tempo que fosse necessário, como auxiliar do Tesoureiro das Obras Sociais. Irmã Dulce ouviu-o com toda a atenção, mas disse que não podia apresentá-lo ao Tesoureiro da Casa. Diante do espanto do Rapaz, a Irmã observou: Meu Filho, nosso Tesoureiro é Santo Antônio!”

Norberto Odebrecht, 11/02/1999

 

DEPOIMENTO DE MARIA RITA PONTES

“Irmã Dulce sempre contou com a ajuda do Dr. Norberto nos projetos de construção civil e, principalmente, como um conselheiro fiel. Dr. Norberto foi um dos que mais contribuíram, nos ajudando a estruturar uma tecnologia de gestão que atendesse aos objetivos de perpetuidade das obras, mas mantendo os princípios de solidariedade que marcam o trabalho de Irmã Dulce, no qual atendimento é totalmente gratuito.”

Maria Rita Pontes, Superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID)
 

 

Linha do tempo: OSID

1959 Fundação das Obras Sociais Irmã Dulce
1965 Inauguração da Unidade de Atenção aos Idosos
1994 Inauguração do Centro de Acolhimento e Tratamento de Alcoolistas e do Laboratório de Análises Clínicas
1996 Inauguração da UTI com 10 leitos
2009 Inauguração do Núcleo de Reabilitação Auditiva
2015 Inauguração da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Nossa Senhora de Fátima
2018 OSID recebe o Prêmio Melhor ONG do Nordeste
2019  OSID completa 60 anos (maior complexo do Nordeste 100% SUS, com 60 milhões de atendimentos ambulatoriais e mais de 300 mil cirurgias realizadas)

 

Linha do tempo: Canonização

26/05/1914 Nasce Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, à Rua São José de Baixo, 36 - Barbalho
13/03/1992 Morre Irmã Dulce
1999 Início do processo para canonização
2009 Papa Bento XVI reconhece as virtudes heroicas da serva de Deus, autorizando a concessão do título de venerável
2011 Torna-se beata da igreja católica com o rótulo de Bem-Aventurada Dulce das Pobres, após lhe ser atribuído o 1º milagre
2019 Vaticano reconhece o segundo milagre e Irmã Dulce será considerada santa 27 anos após sua morte
13/10/2019, às 10h Canonização de Irmã Dulce, no Vaticano, pelo papa Francisco
14/10/2019

Primeira missa em honra à Santa Dulce dos Pobres, presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, na Igreja San’t Andrea dela Valle (Praça Vidoni – Roma)

20/10/2019 Cerimônia de Agradecimento pela Canonização, na Arena Fonte Nova, em Salvador