Comunicação

Notícias

<i>Frank Waag, Offshore Instalation Manager, <BR>e Neil Birkett, Production Supervisor, <BR>integrantes da joint venture OOGTK</i>O FPSO Pioneiro de Libra iniciou no último domingo (26) produção de óleo no bloco de Libra, uma das maiores jazidas de petróleo em águas profundas brasileiras. A embarcação é de propriedade da joint venture 50/50 formada pela Odebrecht Óleo e Gás (OOG) e Teekay Offshore Partners L.P. (Teekay Offshore).

"Esse é um momento histórico para o país e para a Odebrecht Óleo e Gás, que se consolida como uma empresa prestadora de serviços com base em excelência, rigidez financeira, forte estrutura de capital e alta qualidade técnica", afirma Jorge Mitidieri, diretor superintendente de Serviços Integrados da Odebrecht Óleo e Gás, empresa do Grupo Odebrecht que oferece soluções integradas para a indústria de óleo e gás upstream tanto na fase de investimentos quanto nas operações, nos segmentos de Perfuração Offshore, Construção Submarina, Produção Offshore e Manutenção e Serviços Offshore.

O Bloco de Libra se estende por mais 1.500 quilômetros quadrados na Bacia de Santos, situado a 164 km da costa do Estado do Rio de Janeiro, ao sul da cidade de Saquarema. O FPSO Pioneiro de Libra será capaz de atuar em lâmina d’água de até 2.400 metros de profundidade e poderá produzir 50 mil barris de óleo por dia, com capacidade de compressão e reinjeção de quatro milhões de metros cúbicos de gás/ dia.

CONSTRUÇÃO

A construção do FPSO Pioneiro de Libra começou no final de 2014 no estaleiro Jurong, em Cingapura. Ao longo de mais de dois anos, aproximadamente quatro mil pessoas estiveram envolvidas no projeto, incluindo as atividades no estaleiro, com mais de 19 milhões de homens/horas trabalhadas, sem registro de nenhum acidente de trabalho com afastamento.

Desde o batismo do FPSO, realizado em dezembro de 2016 no estaleiro Jurong, a embarcação passou por testes de comissionamento e de mar. Após a chegada ao Brasil, em maio deste ano, a plataforma foi submetida a processos de aprovação de entidades e órgãos fiscalizadores.

O FPSO (Floating Production Storage and Offloading) é um tipo de navio utilizado pela indústria petrolífera para a produção, armazenamento de petróleo e/ou gás natural e escoamento da produção por navios cisterna (petroleiros). São empregados em locais de produção distantes da costa com inviabilidade de ligação por oleodutos ou gasodutos.

O FPSO Pioneiro de Libra é afretado e operado pela joint-venture OOGTK para o Consórcio formado pelas empresas Petrobras (Operadora, com 40%), Total (20%), Shell (20%), CNPC (10%) e CNOOC Limited (10%) que tem como gestora a Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA), por um período de 12 anos.