Comunicação

Notícias

Projetar um futuro mais sustentável e materializar desafios no presente. É com base nesse propósito que a Fundação Odebrecht lança o seu Relatório de Desempenho 2017 – A Caminho da Sustentabilidade, no qual apresenta os resultados de mais um ciclo de aprendizados e realizações.

A publicação visa reforçar o compromisso da instituição com a transparência ao fazer a prestação de contas para acionistas, poder público, parceiros, investidores, integrantes, sociedade civil e beneficiários. Disponível em formato digital nas versões português, inglês e espanhol, o Relatório traz indicadores de desempenho do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS), coordenado pela Fundação Odebrecht, ao longo de 2017. 

O objetivo do PDCIS é transformar social, econômica e ambientalmente as condições de vidas das pessoas no Baixo Sul da Bahia. “A atuação nessa região, marcada por baixos Índices de Desenvolvimento Humano e grande riqueza natural, com predominância do bioma Mata Atlântica, busca a construção de uma sociedade com menos desigualdades e maior equilíbrio ambiental”, afirma Fabio Wanderley, Superintendente da Fundação Odebrecht.

Indicadores

Para alcançar esse objetivo e na busca pela transformação da realidade do Baixo Sul, foram mobilizados no ano passado cerca de R$ 12,7 milhões junto a parceiros e investidores. Destaca-se o engajamento de mais de 4.800 doadores na campanha do Tributo ao Futuro 2017, iniciativa da Fundação Odebrecht que possibilitou uma arrecadação de R$ 2,2 milhões para os Fundos da Infância e Adolescência dos municípios atendidos. 

Ainda no ano passado, foi alcançado o número de 12 mil beneficiários diretos em 370 comunidades. “Dentre os importantes resultados conquistados, temos também a oferta de mais de 300 vagas para formação de jovens no ensino médio, promovendo a Educação para o Desenvolvimento Sustentável. Muitos deles foram incluídos em cadeias socioprodutivas, com os incentivos recebidos para implementação de projetos agrícolas”, ressalta Cristiane Nascimento, Responsável pelo PDCIS. 

Cerca de 354 seminários e palestras foram realizados pelos estudantes nas suas comunidades, para difundir conhecimentos e novas tecnologias aprendidas nas instituições de ensino, aumentando a abrangência de atuação e estimulando boas práticas agrícolas no Baixo Sul da Bahia. Os agricultores atendidos aumentaram suas produtividades por meio de assistência técnica e introdução de manejos agroecológicos, com beneficiamentos diversos na sua produção. Em 2017, foram apoiados 311 cooperados, que alcançaram uma renda média de R$ 2.330,00 e obtiveram apoio para uma comercialização mais justa, mitigando a atuação de atravessadores.

Ainda, 80 nascentes degradadas foram identificadas a fim de dar início, no ano passado, a um trabalho de restauração. Desde 2012, já foram recuperadas e/ou conservadas mais 205 nascentes, com replantio de 212 mil espécies da Mata Atlântica. “Mais do que a comprovação dos resultados do ano, o Relatório de Desempenho é, para a Fundação Odebrecht, a certeza de que o Desenvolvimento Sustentável é possível quando promovemos educação e fomentamos o desenvolvimento econômico em harmonia com a conservação ambiental”, reforça Fabio Wanderley. 

Clique aqui e conheça o Relatório na íntegra