Comunicação

Releases

A Odebrecht Engenharia e Construção e a Petrocity Portos S.A firmaram um memorando de entendimentos para o desenvolvimento de estudos de engenharia para a construção do Centro Portuário São Mateus (CPSM), terminal marítimo localizado no município de São Mateus, no norte do Espírito Santo. Com investimento de R$ 2,1 bilhões, o novo porto Multimodal deverá movimentar diversos tipos de Cargas e já é considerado uma ferramenta de integração regional que ligará o norte e o noroeste do estado do Espírito Santo, além do sul da Bahia e leste e norte de Minas Gerais. O projeto do complexo portuário contará com aporte de recursos privados. 

Com previsão de início da obra no primeiro trimestre de 2019 e conclusão no segundo semestre de 2021, a expectativa é que o C.P.S.M. gere 2,5 mil postos de trabalho no pico da obra. Durante a operação, o terminal portuário deverá empregar cerca de 2 mil pessoas. 

Em uma área de 1,5 milhão de metros quadrados, o novo porto deverá contar com quatro tipos de operação. Um terminal para coordenar as atividades de petróleo e gás; um dedicado ao setor de rochas ornamentais; um terceiro para gerir a movimentação de contêiners; e o quarto com foco em movimentação de carcaças de madeira e de celulose.  

O porto será instalado em área de atuação da Sudene, apesar de estar geograficamente localizado na região Sudeste, o que vai garantir alguns benefícios fiscais ao empreendimento. O estudo de viabilidade técnica e econômica indica uma demanda reprimida de cargas na região, como rochas ornamentais, celulose e madeiras do Sul da Bahia, café, granéis líquido, reparo naval, automóveis, agricultura e, principalmente, cargas conteinerizadas do Sul do Bahia, Norte e Noroeste do Espírito Santo e Minas Gerais. “Contar com a expertise internacional da Odebrecht Engenharia e Construção será fundamental para garantir a execução deste complexo, que irá impulsionar a economia de cidades do interior destes três estados, além de garantir a integração econômica entre eles”, afirma José Roberto da Silva, diretor da Petrocity Portos S.A. 

O conjunto arquitetônico do C.P.S.M. terá um novo conceito, utilizará a metodologia de caixões de concreto e buscará garantir a aplicação de práticas sustentáveis nas fases de instalação e operação. “Nossa experiência e capacidade técnica garantirá a instalação de um dos mais belos e eficientes portos do Brasil”, enfatiza Giorgio Bullaty, Gerente de Contratos da Odebrecht responsável pelos estudos do empreendimento e um dos responsáveis pela construção de um terminal de contêineres no porto de Doraleh (foto), em Djibouti, país localizado no Nordeste da África. 

O documento assinado entre as empresas assegura que, em contrapartida pelo desenvolvimento dos estudos de engenharia, a construtora terá exclusividade na execução das obras do empreendimento.

Comunidades

A Petrocity Portos S.A realizou estudos socioeconômicos executados por empresa encubada na Universidade Federal do Espírito Santo para mensurar o impacto do projeto na região e tem mantido relacionamento permanente com as principais comunidades, além de participar de reuniões regulares.

O projeto deve elevar significativamente a arrecadação de ISS no munícipio. A previsão é de que sejam R$ 220 milhões no terceiro ano de operação do porto. O Centro Portuário São Mateus deve priorizar a contratação de mão de obra local e contará também com a implantação de projetos de maricultura (cultivos de organismos marinhos em habitat natural), além de programas de incentivos para a melhoria da qualidade de vida destas comunidades.

Para esclarecimentos adicionais, favor contatar:

CDN Comunicação
Caroline Novaes (55 11) 3643-2805 - caroline.furlan@cdn.com.br 
Juliana Souza (55 11) 3643-2724 - juliana.souza@cdn.com.br
Thais Rosa (55 11) 3643-2717 - thais.rosa@cdn.com.br