Sustentabilidade

Valorização da Cultura

História

Estimular a preservação e a propagação da memória da Sociedade é fundamental para fortalecer a identidade coletiva e garantir o desenvolvimento sustentável das Comunidades.  Atenta a isso, a Odebrecht investe em acervos de institutos, biografias e registros da trajetória de países e corporações.

São obras como a que reconstitui a viagem do descobrimento do Brasil; a que narra o fim do Império e a instauração da República no Brasil; ou a que detalha a contribuição negra para a formação do país. Há ainda biografias como a de Castro Alves e a do Padre José de Anchieta; e coletâneas, como a Mapoteca do Itamaraty, um dicionário de biografias científicas, e um trabalho do naturalista italiano Antônio José Landi, realizado no século XVIII, que reúne esboços da fauna e da flora brasileiras.

Confira abaixo o acervo da Organização:

Exu Iluminado

O livro retrata a vida e a obra completa do escultor baiano Mario Cravo Jr., um dos mais importantes escultores brasileiros, com peças que hoje já são marcas visuais da cidade de salvador. Exibe imagens de suas principais criações, em vários períodos de sua trajetória, fotografadas por Mario Cravo Neto (seu filho) e por Christian Cravo (seu neto). Os textos, organizados por Kadi Cravo (filha do escultor), traz informações biográficas e ensaios de vários intelectuais, como Jorge Amado e Joaquim Valladares, que analisam o significado da obra do escultor. Acompanha o livro um documentário em DVD sobre o artista, de autoria do cineasta André Luiz Oliveira.

Fauna e Flora Brasileira - Século XVIII

O arquiteto e naturalista italiano, Antônio José Landi, veio ao Brasil em 1756, a pedido de D. João V, de Portugal. Durante cerca de seis anos, percorreu a Amazônia registrando a fauna e a flora da região. Suas representações pictóricas compõem uma documentação de grande valor histórico, científico e artístico.

Fauna e Flora Brasileira – Século XVIII é a reunião do trabalho de Landi, registro fidedigno da grandeza e pujança da Amazônia. Verdadeiro marco nas pesquisas científicas, seus esboços são, até hoje, considerados valiosos documentos da zoobotânica nacional.

Lançada em 1986, em edição bilíngue (português / inglês), Fauna e Flora Brasileira – Século XVIII tem pesquisa histórica de Isa Adonias e pesquisa científica de Arline Souza de Oliveira, Carmen Lúcia de Almeida Ferraz, Dante Luís M. Teixeira e Gustavo Wilson Nunam. O prefácio é do paisagista Burle-Marx.

Fronteiras do Pensamento, Retratos de um Mundo Complexo

Fronteiras do Pensamento, Retratos de um Mundo Complexo foi produzido por Fernando Schüler, Gunter Axt e Juremir Machado da Silva. A obra contém textos que, em grande parte, são transcrições IPSIS VERBIS das conferências proferidas no circuito de palestras Fronteiras do Pensamento, edição de 2007.

O livro, patrocinado pela Odebrecht, foi lançado em 2008.

Fronteiras e Confrontos

Em Fronteiras e Confrontos, Donaldo Shüler se debruça sobre as conferências da edição de 2008 do Fronteiras. O trabalho organiza em quatro grandes temas as proposições dos conferencistas e as ideias defendidas no diálogo com o público do curso, em Porto Alegre.

Os temas “Fronteiras”, “O Homem”, “Ética” e “Lugares” mostram a aguda percepção com que o consultor acadêmico do Fronteiras estabeleceu cortes transversais e realizou costuras inéditas dos assuntos abordados e dos problemas emergentes da contemporaneidade.

A publicação, patrocinada pela Odebrecht, foi lançada em 2009.

General Osório e seu Tempo

Patrocinado pela Odebrecht e publicado em 2008, General Osório e seu tempo tem autoria de José Antônio severo e aborda a vida do General Osório em uma narrativa que mistura história e literatura. A obra reconstrói os fatos que levaram à definição das fronteiras do Sul do Brasil.

Páginas