Sustentabilidade

Valorização da Cultura

Parceria

Com o objetivo de preservar os patrimônios histórico, artístico e cultural dos países onde atua, a Odebrecht tem estabelecido parcerias com editoras, universidades, entidades representativas de classe e órgãos governamentais. Esse trabalho viabiliza importantes trabalhos na área. Desenvolvidas por estudiosos, as obras discorrem sobre assuntos diversos, mas que compartilham do intuito de propor uma reflexão sobre o passado, o presente e o futuro de diferentes segmentos sociais.

Veja mais sobre os títulos frutos dessas parcerias abaixo:

105 Anos da Escola Politécnica da UFBA (2003)

Fundada em 1898, a Escola Politécnica da UFBa, antiga Escola Politécnica da Bahia, abriga hoje seis cursos de graduação, cinco de mestrado e 16 de especialização, atendendo cerca de três mil alunos. De seus bancos, têm saído profissionais de renome nacional, políticos ilustres, empresários e artistas.

Publicado em 2003, 105 anos da Escola Politécnica da UFBA contou com patrocínio da Braskem e da Cetrel e organização do professor Caiuby Alves da Costa. O livro reúne pronunciamentos e documentos produzidos ao longo de mais de um século e textos escritos exclusivamente para esta publicação.

450 Anos de Propaganda no Brasil

Livro-catálogo que registra 70% das peças apresentadas em exposição homônima, 450 anos de Propaganda na Bahia é fruto do esforço do pesquisador e publicitário Nelson Varón Cadena. Ele procura resgatar a memória da propaganda baiana.

A obra, editada em 1998, em parceria com o Governo do Estado da Bahia, traz testemunhos e reproduções de propagandas coletadas em arquivos e bibliotecas. É apresentada, também, uma seleção de peças contemporâneas premiadas em concursos regionais, nacionais e internacionais.

50 Anos de Trio Elétrico

Publicado em 2000 pela editora Corrupio, 50 Anos do Trio Elétrico, de Fred Góes, celebra o jubileu de ouro do aparecimento do primeiro trio elétrico, levado às ruas de Salvador por Dodô e Osmar.

A obra narra e documenta, com fotos e depoimentos, a evolução de uma das mais inventivas e bem-sucedidas manifestações do carnaval brasileiro.

A Abolição na Bahia 1870-1888

Resultado da dissertação defendida por Jailton Lima Brito no Mestrado em História da UFBa, A Abolição na Bahia 1870-1888 foi publicado em 2003. O autor analisa, a partir de pesquisas primárias e bibliográficas, as ideias e práticas abolicionistas e as mudanças nas relações sociais decorrentes do fim da escravidão.

Brito valoriza a participação dos escravos, opondo-se à tese de que abolição não teria tido maior impacto na Bahia em virtude da decadência da cultura açucareira.

A Bahia Já Foi Assim

A terceira edição, revista e ampliada, de A Bahia já foi assim, da folclorista Hildegardes Vianna, recupera uma obra esgotada e constantemente requerida pelos pesquisadores dos costumes. Editado em 2000, o livro reúne 62 crônicas em que a autora reconstitui a maneira de viver na Bahia antes da década de 1940 e traz um glossário de termos regionais.

Páginas