Sustentabilidade

Valorização da Cultura

Parceria

Com o objetivo de preservar os patrimônios histórico, artístico e cultural dos países onde atua, a Odebrecht tem estabelecido parcerias com editoras, universidades, entidades representativas de classe e órgãos governamentais. Esse trabalho viabiliza importantes trabalhos na área. Desenvolvidas por estudiosos, as obras discorrem sobre assuntos diversos, mas que compartilham do intuito de propor uma reflexão sobre o passado, o presente e o futuro de diferentes segmentos sociais.

Veja mais sobre os títulos frutos dessas parcerias abaixo:

Triéquis

Imprevisível, em todos os sentidos, Triéquis, de Djalma Jacobina Neto, surpreende já pelo título – neologismo com sentido só desvendado ao final desse livro de estreia do autor, publicado em 2003. A qualidade da construção das personagens e o ritmo narrativo da aventura, que agarra o leitor desde a primeira página, são igualmente surpreendentes. Assim como é inesperada a incomum e bem-sucedida mistura de prosa e poesia experimentada pelo autor.

Trilogia do Pelô

Coeditado em 1995, pelo grupo Cultural Olodum e pela Fundação Casa de Jorge Amado, Trilogia do Pelô reúne os textos das três peças escritas por Marcio Meirelles e o Bando de Teatro Olodum: Essa é a nossa praia, Ó pai, ó pai e Bai bai, Pelô. Com apresentação de Caetano Veloso, a obra traz também textos de Armindo Jorge Bião, Ana Fernandes e Marco Aurélio de Filgueiras Gomes e Marcelo Dantas. Eles analisam o teatro e a negritude na Bahia, a revitalização do Pelourinho e a história das montagens.

Uma Questão de Igualdade... Antônio Vieira e a Escravidão Negra na Bahia do Século XVII

No ano em que se celebravam 300 anos da morte de Padre Antônio Vieira, a Academia de Letras da Bahia e a Copene instituíam o Prêmio Internacional Antônio Vieira. Ele seria direcionado para obras sobre aquele que foi um dos maiores prosadores da língua portuguesa. Vitorioso, Uma questão de igualdade..., do historiador mineiro Magno Vilela, foi lançado em 1997 pela editora Relume Dumará. O autor contextualiza a figura de Vieira e reconstrói sua trajetória, enfatizando sua atuação na defesa dos negros e dos índios.

Páginas