Sustentabilidade

Valorização da Cultura

Parceria

Com o objetivo de preservar os patrimônios histórico, artístico e cultural dos países onde atua, a Odebrecht tem estabelecido parcerias com editoras, universidades, entidades representativas de classe e órgãos governamentais. Esse trabalho viabiliza importantes trabalhos na área. Desenvolvidas por estudiosos, as obras discorrem sobre assuntos diversos, mas que compartilham do intuito de propor uma reflexão sobre o passado, o presente e o futuro de diferentes segmentos sociais.

Veja mais sobre os títulos frutos dessas parcerias abaixo:

Biblioteca de Literatura Angolana

Projeto da Edições Maianga, de Angola, a Biblioteca de Literatura Angolana, editada em 2005, reúne 24 obras, de diversos gêneros e temáticas, de escritores angolanos de diferentes gerações. A primeira caixa da coleção traz obras de autores anteriores à independência de Angola. A segunda, autores contemporâneos, alguns já em atividade durante o processo de independência.

A coleção facilita o acesso de professores e estudantes à melhor literatura do país e contribui para a afirmação da identidade do povo angolano, num momento de reconstrução nacional.

Brasil, 1792: Início do Ensino da Engenharia Civil e da Escola de Engenharia da UFRJ

Brasil, 1792: Início do Ensino da Engenharia Civil e da Escola de Engenharia da UFRJ, publicado em 1985, é resultado do projeto de pesquisa do Professor Paulo Pardal. O discente realizou um estudo acerca das origens da Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, instituição que, um século depois, viria a se tornar a Escola Politécnica do Rio de Janeiro. A partir da Real Academia, o autor narra a história da Engenharia no Brasil, pioneira na América do Sul.

Breviário de Antonio Conselheiro

Em 1897, em Canudos, um sargento da brigada encontrou, no arraial, um manuscrito apócrifo, datado de 1895 e pertencente a Antonio Conselheiro. Mais de um século depois, em 2002 – ano em que se completavam 100 anos da publicação de Os Sertões, de Euclides da Cunha – a Editora da Universidade Federal da Bahia trouxe a público parte do documento.

Breviário de Antonio Conselheiro traz fragmentos fac-similados do material conservado pelo professor José Calasans (1915-2001), um dos mais importantes estudiosos da saga de Canudos. Os fragmentos fazem parte do acervo por ele doado ao Centro de Estudos Baianos da UFBa.

Calasans Neto – Grabados

Integrando a série Dibujos, publicada pela Fundação Casa de Jorge Amado, em 1998, Calasans Neto – Grabados apresenta o artista plástico baiano e sua obra. O livro traz comentários de grandes nomes da cultura nacional, como Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes e Glauber Rocha.

Canto de Alvorada

Nos sete contos que compõem Canto de Alvorada, Aleilton Fonseca, também poeta e professor universitário, transcende o regionalismo para revelar o lirismo das histórias comuns. Editado em 2001, o livro foi saudado por críticos do país e do exterior como importante revelação da literatura brasileira contemporânea. A obra venceu o Prêmio Herberto Sales da Academia de Letras da Bahia.

Páginas